[detalhe] Este corpo tão volumoso quanto um planetóide, simétrico, artificial, foi fotografado pelo aparelho Lasco C2 fazendo visitas ao Sol, no dia 01 de Outubro de 2019.
Fotograma das 02:24 hrs; fotografado próximo à superfície solar.
(Inicialmente na banda de freq. vermelha)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Observadores próximos à superfície solar, em seu artefato de science-fiction: novamente fotografado no dia 01 de Out., às 21:12 hrs.

 

 

 

 

 

 

[amplie para ver] Este fotograma do C3 também é de 01 de Outubro de 2019, horário das 05:54.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Em 55 ou mais anos prevalece a cegueira, o preconceito, a auto-complacência e o deslumbramento de Acadêmicos cujas cabeças de avestruzes permanecem enfiadas na praia... Não seria necessariamente em seus orgãos de pesquisa, ou em suas teses de oportuno consenso corporativo, que Vossas Senhoras deveriam se ocupar com a posição do planeta Terra no Universo, e com isso, de seus habitantes da mesma forma... Seria mais no campo da cultura, ou das ações cívicas...

Permanece a respeito do Veto Medieval às revelações tecnológicas, científicas, cosmológicas, que viraram “segredos de Estado” desde o final da 2ª guerra, a mesma submissão temerosa e servil de sempre, ou a conivência... Nas instituições e na sociedade, em toda parte, prevalece [há exceções] o sorriso displicente em termos de "o que será que significa isso tudo mesmo??"

Entretanto, somente a explicitação do quadro de obscurecimento forçado da história científica moderna, por parte daqueles ocupando posições institucionais, perante o distinto público, não em seus gabinetes blindados - poderia dar o fim a este cenário "medieval" nas instituições de ciência, de cultura e jornalismo, que caracterizou toda nossa sociedade ao final do séx. XX.


gulliver1001.bravehost.com/Historia-2
gulliver1001.bravehost.com/Academica-1
gulliver1001.bravehost.com/História-2000


Novas páginas sobre a estupidez e cegueira dos cientistas diante da atividade de seres e/ou civilizações galácticas no Astro Solar:
gulliver1001.bravehost.com/Afrotadosol-1
gulliver1001.bravehost.com/Afrotadosol-2

 

Fotograma em data cabalística: horário das 02:06. Este artefato pode ser diferente do outro que está acima... ou será o mesmo em ângulos diferentes? Veja na página Frota do Sol-1: Os cientistas estão vendo um evidente Curador do Sol há 11 anos!


Estudos sobre a Filosofia dos Estóicos -- sécs. III a.C. a II d.C.
stoapoikile.bravehost.com

Saudades de San Pedrito
novo-jornal-para-provincias-e-rincoes
saudades-de-san-pedrito
a-discussao-politica-na-comunidade

 


No satélite Soho, o aparelho Lasco C3 tira fotos do Sol a cada 12 minutos. O Soho tem uma órbita que acompanha a Terra numa posição dentro do raio terra--sol.
Os Cientistas Astrofísicos tomam café-da-manhã quase todo dia, há mais de 10 anos... vendo este tipo de "operação da frota da federaçao galáctica" no Sol... Os corpos sólidos deslizantes já se apresentaram diversas vezes, solo ou em frotas; algumas vezes estão estacionados, e têm formato de sinos, chapéus, torres, etc. Nesta foto de 30 de Novembro, o corpo redondo gigantesco abaixo do Sol é uma aparição circunstancial, não um corpo astronômico reconhecido. Os galácticos, por sua vez, parece que estão ensaiando alguma "operação final", e formal, no sistema solar, desde 1982, mas, por alguma razão, não se decidem a fazê-lo.

 

70 anos depois prevalece o deslumbramento e a cegueira na comunidade dos terráqueos!

Best Ufo Pictures 1870-2015
sobre Lima, Peru, Maio 2007
Navio Escola Saldanha da Gama Jan 1958
Semjase
ufodigest.com
Relatório Completo de todos os Encontros [deutsch]

 


foto Adamski, com telescópio: sobre a lua, 1950

 

O Livro e as Fotos de George Adamski, 1952-53

As milhares e milhares de fotos da "ufologia" ao final poderiam não valer nada, uma vez que se pode sempre contestar uma "prova", seja pela repetição da propaganda contrária, seja pelo argumento da autoridade, pela desqualificação da fonte, desqualificação ou destruição das amostras materiais, etc.


Foto Adamski: Nave Mãe e naves atmosféricas sobre as Montanhas da California, março de 1951

Ao separar metodicamente as fontes de seus contextos sociais e psicológicos, a contra-inteligência pode sempre isolar e destruir uma "prova", ou a "credibilidade" do depoente. Foi assim que nos primeiros anos das fotos e depoimentos dos encontros com humanos de fora da Terra, em suas naves, os relatos de Adamski e todos os outros - Guimarães, Kraspedon, Klarer, etc - não foram recebidos com desconfiança pelo público... Muito menos pelas "autoridades" no Brasil e nos EUA, que enviavam seus representantes para se entrevistar com os depoentes civis.

Estes depoentes tinham excelente imagem pública e civil, pois Adamski, Howard Menger, e todos os outros faziam conferências e se apresentavam seguidamente para as radios e jornais. Nos anos 50 a imagem que se tinha de Venus e Marte permitia se pensar que os visitantes eram nossos semelhantes no Sistema Solar, ou mesmo de Sirius e Alpha Centauri... Em seguida os programas da Nasa desmentiram estas possiblidades nos anos 70 e 80. (Sendo estes mesmos programas, hoje desmentidos...)

 

Sendo de boa qualidade fotográfica as primeiras e famosas fotos de Adamski ao início dos anos 50, elas foram levadas a um especialista da Companhia Kodak para "teste"... A resposta do ótico foi que as fotos pareciam reais, mas que o importante "seria indagar sobre a pessoa que apresentara as fotos - qual possibilidade teria ela em oferecer fotos falsas?? "
As fotos referentes aos anos 50 e 60 seriam de fato mais valiosas como provas, uma vez que se enquadrariam menos na possibilidade mais recentes das técnicas de digitalização em que se pode quase infinitamente "doutorar" fotos. Entretanto, o mesmo princípio permanece válido para os milhões de fotografias do mundo contemporâneo – A menos que se "prove" que o autor de uma foto estaria na intenção da fraude, por que seria falsa uma foto, se "nada prova a intenção falsa do autor?"

Acrescente-se que, como em todos os outros casos, são suficientes as provas conhecidas sobre vários programas de propaganda para descaracterizar e caluniar aqueles depoentes dos encontros dos anos 50 com visitantes galácticos, como em Adamski, Kraspedon, Freitas Guimarães, Klarer, Magocsi, Paz Wells - o que ainda se reflete nos diversos sítios "ufológicos" e nos de pesquisa supostamente "neutra", no estilo das enciclopédias, Wikipedia, etc...

Há uma única questão que teria ficado pendente em relação a Adamski: em seu primeiro livro da fase teosófica (1949) ele teria relatado uma viagem "hipotética" a outros planetas, Venus, etc, como se fosse por uma espécie de "projeção astral" - os mesmos planetas aos quais ele depois descreve ter viajado fisicamente nos anos 50 em seu livro Inside the Space Ships. Essa questão foi utilizada para desacreditar Adamski, como autor comercial.
Tendo em vista todos os desenvolvimentos de sua experiência e os relatos biográficos de sua carreira de teosofista e orientalista ecumênico, ordens que concebem a projeção da mente no espaço e no tempo, tais experiências prévias não seriam tão imprevisíveis.
Muitos outros relatos de Adamski se confirmaram no tempo, como a respeito das instalações e porções de nuvens nas crateras na Lua, das regiões de habitat humano (artificiais?) em Venus, Marte, satélites de Jupiter e Saturno; sobre a vigilância da CIA, etc.
E o medalhão que recebeu do Papa J. XXIII, com certeza era uma distinção valiosa. Além disso suas fotos e filmagens não puderam ser contestadas. Veja George Adamski -- The Untold Story, Lou Zinsstag and Timothy Good, England, 1983.

George Adamski Foundation
Adamski Issues
biblioteca-ga.info/50/toon/136/29
youtube.com/Hesemann documentary

 

No Brasil, o Coronel Coqueiro, diretor do serviço de inteligência (informações) da Aeronáutica deu respaldo ao Juiz (então advogado) Freitas Guimarães, estando presente em sua conferência em 1956 (Santos). Nos meios militares brasileiros, se tornou marcante o episódio na Ilha de Trindade, com os depoimentos e imagens dos cientistas, oficiais e fotógrafos qualificados que observaram as evoluções da nave sobre a ilha em Janeiro de 1958, nos exercícios do Ano Geofísico Internacional.

Posteriormente, com a hegemonia dos programas de contra-inteligência da CIA (Relatórios Robertson, Condon) e das agências de controle da opinião pública (Rand, Tavistock, CFR), ao longo dos anos 50 e 60, os relatos passaram a ser desacreditados nos meios de comunicação e TVs, e desprezados pelos cientistas, tornando-se enfim a popular e programada “ufologia”.

 


scoutship sobre os jardins de Palomar Gardens, dezembro, 1952

 

Há notícias de que Venus também sofreu uma devastação devido a guerras de povos civilizados antigos.
Visitantes "venusianos" devem ser de alguma colônia de restauração ambiental. As visitas e conferências de Val Thor no Pentágono, e com o Presidente Eisenhower, e outras autoridades, se deram desde 1957 até 1960. Nesta foto, num encontro com Howard Menger, logo após uma de suas visitas em Washington.

 

Val Thor reaparece depois de 60 anos...! Ele ficou aborrecido por ter ficado 3 anos terráqueos tentando converter as autoridades a fazer acordo com a Federação Galáctica: Na verdade, Eisenhower havia concordado com sua proposta, mas agora sabemos que o Presidente foi barrado pelos poderes militares secretos, que preferiram se associar a Orion& Greys. As consequências foram nefastas, como se vê até hoje...
youtube.com/watch?v=MXYEv7q-YHE

 

Juiz Freitas Guimarães

viafanzine.jor.br/site_vf/ufovia/classicos
fenomenum.com.br/ufo/casos/1950/guimaraes
Guimaraes Warnung an die Wissenschaft

 

Oscar Magocsi, anos 70-80, Toronto

Convidado a fazer alguns passeios de instrução em 1974 por Argus, membro de uma equipe de evolução humana de quinta densidade (os “Psiqueanos”), Magocsi visitou vários redutos e instalações da Federação na Terra, para a execução de um dedicado e arriscado trabalho de recuperação para os Terráqueos, que atravessa todos os séculos desde o último dilúvio.

Em seguida o futuro cronista e contato de trabalho dos Psiqueanos foi levado ao planeta Argona, um mundo de academias histórico-antropológicas, medicina, arte e recreação... Com os “museus vivos”, isto é, reconstruções das civilizações antigas da Terra, e da atual. Neste passeio Magocsi visitou as instalações de apoio para os missionários que vêm passar temporadas na Terra, aproveitando-se de suas perfeitas similaridades com os locais. Ele foi convidado a uma imitação de pub nova-iorquino onde a pianista, que executava canções jazísticas dos anos 50, se preparava para sua temporada de trabalho num planeta conflituoso e cheio de karmas – nosso planeta...

Veja nos linkes a descrição das guerras ancestrais em nosso sistema solar, conforme registrado em todos os autores mais recentes:

oscarmagocsi.com/books
Minha Odisséia, Oscar Magocsi

Magocsi nasceu na Hungria, em 1928. Uma página alemã já deletada, "Nachrichten", dizia que ele havia se tornado um agente diplomático internacional, credenciado como funcionário governamental do Canada. Nesse contexto seria previsível sua colaboração "diplomática" com o programa da Federação, mas isso pode significar uma experiência cheia de aventuras e perigos:

www.ufodigest.com/?s=oscar+magocsi
nebadon.bravehost/Odisseia_1985
Oscar Magocsi Kontakt [deutsche]

Veja aqui o motivo que o fez falecer aos 74 anos, em 2002:

oscarmagocsi.com/unpublished
oscarmagocsi.com/pdf/oscars-

 


Alto do Sumaré, São Paulo, 1997

 

Elizabet Klarer

galacticdiplomacy.com/Klarer-home
Elizabeth Klarer [deutsche]
ufoexperiences.blogspot.com/2005/05/elizabeth-klarer
ufoexperiences.blogspot.com/2005/06/questions-about-elizabeth-klarers-book

 


Publicada na revista de aeronáutica da Royal Air Force em Julho de 1957; e na Flying Saucer Review, July 1957 -- Um piloto da Força Aérea francesa fotografou este aparelho [em Março de 1954 -?] sobre Rouen, com sua câmera tele-objetiva. A nave acompanhou o avião por alguns minutos antes de ultrapassá-lo em alta velocidade.

 

Os relatos do Suiço Eduard Albert Meier foram também durante muito tempo objeto de intensa curiosidade. Enquanto ao longo dos anos 70 diversos autores apareceram para "desmascarar" Meier, na linha das "pesquisas ufológicas", nos anos 90 a tendência se inverteu, e diversos autores vieram a campo para reestabelecer a credibilidade do Suiço e de suas estórias, muitas delas surpreendentes...

Verdadeiros pesquisadores e investigadores que se dispuzeram a falar com o amigo dos pleiadeanos pessoalmente, deram depoimento de sua autenticidade, e principalmente do fato de que ele era sujeito a ações de contra-inteligência, descaracterização, e falsas "provas" implantadas para "denúncias" premeditadas.

Muitos de seus relatos não são claros nem objetivos, mas o enredo principal destes relatos é de humanos com um envolvimento complexo, difícil, aventuroso, nas questões dos humanos da Terra (que têm os tempos de incarnação relativamente encurtados). Esta é a mesma lógica em outros relatos, nos quais os humanos estelares vêm a Terra como se "em missão" de trabalho, de maneira árdua e não pacífica e tranquila.


Semjase

Atualmente, um sítio que fala em seu nome, traz diversos comentários que desautorizam muitos outros "contactados", e que parecem ser resultado de alguma contra-informação [?].

The Future of Mankind

 


Holloman Air Force Base Arizona 1957

 


Foto Castelânea -- 08 Agosto 2002

Foto tirada por pessoa que preferiu não ser identificada. Bairro da Castelânea, Petrópolis. Nesse período era grande a tensão mundial, com o governo dos EUA planejando a invasão do Iraque. Ao longo desses dias de Agosto, o site do MUFON (Conferir no Rense.com) anunciava estarmos assistindo uma das maiores, senão maior, aparição de naves em todo o mundo.

O amigo fotógrafo tinha sua rústica máquina de retratos no porta-luvas do carro naquele momento porque, já por três vezes seguidas, ao chegar em casa naquele horário tarde da noite vindo do trabalho, uma nave se aproximava, vindo junto à montanha e, se materializando perfeitamente, mantinha alguma comunicação com o fotógrafo.

Este tipo de foto é extremamente raro, a não ser que seja programado – tal como a foto de uma nave-mãe lançando pequenas naves de patrulha tirada por George Adamski na California em 1951, acima. A claridade laranja-avermelhada é típica da manifestação das naves quando elas se mantêm semi-defasadas com nossa continuidade material. Nesse caso, os pilotos não desejam se materializar por completo para nós, para não acionar os infalíveis alarmes nos radares da força aérea.

Ver uma bola maior ao centro que lança cerca de 50 bolas menores (algumas com reflexos em volta). Uma nave corre da esquerda para direita deixando um rastro, e sumindo à direita. Para o poder de foco de uma máquina simples, as bolas luminosas são bem grandes: comparar com a luminosidade de uma estrelinha azul prox. ao centro, em baixo. Próximo ao centro junto à borda superior o ponto branco é resultado do uso de um prego... Veja próximo ao ponto branco a distinta forma de um disco-voador com reflexo azulado.

Nenhum acontecimento poderia justificar a operação de uma nave mãe sobre uma cidade, a baixa altura em nossa atmosfera, senão uma espécie de ação preventiva, ou treinamento, num momento de grave tensão mundial. Justamente naquela data, o governo dos EUA anunciava a invasão do Iraque, que só acabaria ocorrendo em Março de 2003. A frota dos missionários “federados”, como se sabe, está atuando militarmente para conter o governo Bush, e evitar a terceira guerra mundial.

O ano de 2002 foi cheio de aparições de naves nos bairros Castelânea e Valparaíso.

 

Ciro Moroni Barroso